Tendências para Verão 2020

Já chegamos na metade do ano e embora nosso armário ainda esteja no mood inverno, nossas cabeçinhas já estão na próxima estação . Embora as semanas de moda que vão realmente nos colocar no clima do verão só sejam em setembro, já conseguimos saber quais são as grandes apostas para o Verão 2020 . Vamos a elas?

Cores

Como sempre a estação mais hot do ano pede por tons quentes e vibrantes. Esse ano os tons de vermelho e laranja , nas versões vivas ou mais queimadas, vão fazer nossos looks ficarem bem solares. Mas há quem não curta muito essas cores mais vibrantes e nesse caso, podem ficar tranquilas pois o Lilás e o Menta também vão transitar como queridinhas e trazer frescor para esses dias mais quentes. Outra tonalidade que aparece bastante é o nude e os terrosos, que sempre deixam o look bem chique assim como o branco. Apostem sem medo de errar em looks total white.

A vibe fluo continua firme e forte no verão 2020 . Vamos ver muitos detalhes e acessórios em neon, principalmente no verde. Para as mais fashionistas, uma dica é montar um look fluorescente monocromático que vai te deixar com ares bem modernosos e isso serve inclusive para a moda festa. Nós aqui na Boutique Atelier adoramos misturar os neons com os nudes que já falamos acima…chique e atual. Já para quem curte a tendência mas não quer cair na tinta, os acessórios são uma boa pedida. Clutchs, sandálias ou até mesmo um brinco já vão deixar você suficientemente fluo para curtir o verão.

Animal print e estampas

A famosa onçinha nunca sai de moda independente de estação ou ano e é nossa querida. Mas a nova estação promete trazer uma concorrência a altura : Snake print! A estampa imitando pele de cobra promete ser a bola da vez. No desfile da Animale realizado no MAM em abril desse ano, a marca usou a estampa em tons suaves como o rosa…bem a cara do verão.

Outra grande tendência vista nas passarelas do SPFW foi o tie dye que a tempos já ensaiava sua volta porém agora chegou repaginado. O tie dye do verão vai ser mais suave tipo um efeito marmorizado, algo parecido com uma aquarela. O que já nos leva a falar sobre a estampa artsy que também esteve bem presente nas coleções.A estampa artsy, como o nome já diz, é inspirada nas obras de artes. Pinceladas, rabiscos, linhas largas que lembram as feitas à mão livre com canetas ou ainda desenhos que parecem ter sido realizados sem a menor técnica são as características desse tipo de estampa.

Tecidos

Um grande candidato a ser eleito o tecido da estação é o linho. Ele deixa qualquer summer look elegante, delicado e super fresquinho. Atualmente encontramos mixes de linho com elastano, fios metálicos e outros materiais que deixam seu uso mais versátil e não nos preocupa tanto com o famoso amassado da sua versão pura.

As telas que já nos acompanham na sport wear, vão ser usadas em peças de alfaiataria, mais estruturadas e até na moda festa. As coleções da Bobstore, Lenny Niemeyer e Amir Slama já deram uma ideia de como vão ser usadas.

E como sempre, principalmente aqui no Brasil, os tecidos manuais se fazem presentes. O tricô, o crochê, macramê e rendas feitas à mão vão receber um toque de brilho e sofisticação que nos leva ao artesanal luxuoso.

As franjas são a grande aposta do verão. Presente em 90% das coleções serão responsáveis por trazer movimentos para as peças. Elas chegam acompanhando o tecido como é o caso das de seda ou em canutilhos, muito usadas para a moda festa e haute couture .

As assimetrias vão continuar em alta assim como os babados e transparências.

Finalizando nosso spoiler, seria justo dizer que vamos ter um verão de opostos. De um lado tecidos naturais, modelagem de alfaiataria, looks all white e cores chiques. No outro extremo a sport e surf wear migram para as ruas trazendo roupas utilitárias com muitos bolsos, cintos com pochetes e capuz. O uso da tela assim como zíper e custuras aparentes, além dos neons e estampas abstratas.

E aí pronta para as novas tendências?

Espero que tenha curtido o conteúdo. Durante as semanas de moda gringas, em setembro, volto aqui para resumir as tendências e os desfiles lá de fora, combinado? Enquanto isso te esperamos lá no atelier para uma visita. Aproveita pega as roupas que você ama mas por algum motivo não usa mais e leva lá para a gente repaginar no mood verão 2020. Ou escolhe o modelo que você mais amou dos desfiles para a gente produzir e você sair na frente desfilando as tendências.

Vocês sabem o que é Upcycling?

Ainda dando seu primeiros passos no mundo da moda, upcycling não é um termo íntimo para a maioria das pessoas, mas isso (ainda bem!) está mudando. Eu, pessoalmente, acredito que esse é o novo caminho que a moda irá trilhar.

Tá bom, tá bom!!! Mas o que é então esse tal de upcycling?!

O termo foi usado pela primeira vez em 1994 por um empresário ambientalista alemão chamado Reine Pilz. Mas de fato se popularizou em 2002 com o livro “Cradle to Cradle: Remaking the Way We Make Things” , de William McDonough e Michael Braungart. Reine Pilz e os autores do livro alertam para a necessidade de sempre evitarmos qualquer desperdício de materiais potencialmente úteis, reutilizando-os e assim fazendo uso do que já existente. Assim haverá uma redução de consumo de novas matérias-primas, consequentemente teremos um menor consumo de energia, menos poluição do ar, da água…

Upcycling nada mais é do que recuperar materiais que seriam descartados e reaproveita-los ao máximo em sua forma original e assim criar um produto de maior valor e até mesmo maior qualidade. O mais importante: sem usar novos recursos (energéticos, hídricos, químicos…) para isso. Quer atitude mais sustentável?

Quando falamos em sustentabilidade, logo nos veem a cabeça três palavrinhas muito importantes : REDUZIR, REUSAR e RECICLAR, os 3 R’s. Upcycling se refere ao segundo R e sob a ótica de minimizar os efeitos ambientais, supera a reciclagem pois novos recursos não serão empregados para transformar um material em outro. Para a renovação da matéria-prima alguns processos são utilizados o que acaba de alguma forma , mesmo que minimizado, gerando impacto ambiental.

Outro aspecto muito interessante que a prática do Upcycling nos traz é reeducar nossos olhos para tudo que pode ser reaproveitando e isso se aplica a qualquer área, não somente a moda. No Brasil temos um pouco de dificuldade em aceitar o “velho”, usado, reaproveitado…vide nosso comportamento com os bréchos comparativamente ao dos europeus, por exemplo. É muito importante, em uma época onde está muito claro que nossos recursos são finitos, que devemos repensar alguns comportamentos.

A maior prova que o upcycling veio para somar e ficar é a marca Petit h, braço da Hèrme e criada por sua herdeira Pascale Mussard. Habituada a frequentar o ateliê da grife, Pascale tinha vontade de se apropriar dos retalhos de crocodilo e vitelo, sobras do couro recortado para dar forma a bolsas Kelly e Birkin assim como as fivelas de metal dos acessórios, toalhas da linha casa e até os vasos soprados na cristaleria Saint-Louis,uma das marcas do grupo Hermès. Assim todo o material rejeitado nas linhas de produção da maison é entregue a um artesão para ser reinventado ou é enviado a um artista plástico eleito por Pascale para virar obra de arte. As peças são únicas e lançadas apenas uma vez por ano em uma cidade eleita.

Edição limitada da Petit h feita com as sobras de couro da famosa Birkin

Mas não precisamos ir tão longe e nem sermos tão luxuosos para usufruir dessa nova forma de fazer moda. Muitas marcas gringas e nacionais (orgulho!) já aderiram ao Upcycling das mais diversas formas, as minhas preferidas são: Comas, Insecta shoes , Colibrii e claro, a Boutique Atelier.

E aí curtiram essa nova tendência?!